Espessantes Alimentares

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Engrossando o caldo.

A Nutricionista Maria Alice Maciel nos fala um pouco sobre espessantes alimentares.

Muitas vezes vamos ler um rótulo de um alimento e encontramos espessante, além de outros componentes, mas afinal para que serve?

Bom, espessantes são substâncias químicas que conferem aumento da viscosidade sem alterar outras propriedades do alimento. São aditivos, como tantos outros, muitas vezes necessários e com as quantidades permitidas bem determinadas pela Anvisa.

São empregados para melhorar a textura e a consistência de determinados produtos. A maioria dos espessantes são carboidratos naturais (carragena, gomas guar, arábica, xantana e jataí) e carboidratos quimicamente modificados (carboximetilcelulose).

Muitos espessantes possuem também características de estabizantes. Utilizados principalmente em sorvetes, iogurtes, molhos, margarinas, geléias artificiais, balas, gomas de mascar, recheios e coberturas de bolos.

( http://www.aditivosalimentares.hpg.ig.com.br/tipos.html )

E o uso do espessante na culinária? Quem nunca comeu um mingau, uma sopa cremosa ou um molho Bechamel e tantas outras preparações em que se usa um determinado produto que confira essa consistência cremosa? Nossa, os molhos ficam maravilhosos, os Chefs que nos contem, ou melhor, que nos façam saborear esses molhos e preparações deliciosas.

Existem ainda outras funções dos espessantes, direcionadas para pessoas com disfagia, ou seja, dificuldade para deglutir ou aqueles que não tem, por algum motivo, o reflexo da tosse, que não deixa de ser um fator de proteção. Esses pacientes, ao ingerir líquidos, podem se afogar e acabar até aspirando, o que podendo causar uma infecção  pulmonar (pneumonia). Nesses casos é melhor ingerir preparações modificadas na consistência, espessadas, do que os líquidos, que são mais fáceis de levar ao afogamento.

Existem alguns alimentos espessantes como o amido de milho ou a própria farinha de trigo. Existem também alguns produtos industrializados que são direcionados para esse fim, sem modificar o sabor dos alimentos. Pode-se, inclusive amolecer algumas preparações que sejam muito endurecidas. Dependendo da necessidade do indivíduo, utiliza-se consistências diferentes, como por exemplo, consistência de xarope ou de mel, ou mais denso, se assim desejar.

Viram só que interessante? Esse é apenas um aditivo dentre uma gama enorme deles, vamos fazer bom uso.

Um abração

Maria Alice Maciel        Nutricionista

Print Friendly
Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Posts Relacionados

The following two tabs change content below.